Trezentos e dezesseis famílias de catadores cadastrados na Agência de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas e do Empreendedorismo (Aderes), cuja principal fonte de renda é a coleta de resíduos sólidos, foram beneficiadas com cestas básicas e material de limpeza arrecadados pelo Sindicato da Indústria de Material Plástico do Estado do Espírito Santo (Sindiplast-ES). A iniciativa, que integra o movimento Indústria do Bem, mobilizou funcionários das empresas associadas a fazerem doações para os catadores, parceiros da cadeia produtiva do plástico que contribuem para a reciclagem de material.

A entrega das doações aconteceu nesta quinta-feira, 23, às associações de catadores Revive, Barramares e Reciclagem Verde Vida, de Vila Velha, e Acamparp e Flexivida, de Cariacica, que ficarão encarregadas de fazer a distribuição para os catadores. De acordo com o presidente do Sindiplast-ES, Jackley Maifredo, as doações foram resultado da Gincana da Solidariedade, desenvolvida pela instituição junto às empresas associadas no período de 20 de junho a 21 de julho.

Participaram da Gincana da Solidariedade 12 empresas, tendo sido a vencedora a PMI Aladdin/Stanley, do município de Cariacica, especializada na fabricação de garrafas térmicas e copos para cerveja, que ganhará, como prêmio, um coffee break e brindes para sorteios entre os seus funcionários. Segundo o gerente geral da empresa, Vanderlei Paes Júnior, a participação na campanha está alinhada com um dos Valores da PMI Aladdin/Stanley de “Criar um mundo melhor”. Ele destaca que o objetivo foi, não só recolher as doações, mas de levar os colaboradores da empresa para fazer a entrega em mãos, de modo a internalizar entre eles o valor da companhia de criar um mundo melhor.

cestas básicas para famílias de catadores de reciclados

“Para incentivar a participação dos colaboradores, para cada quilo de alimento doado por eles, nós oferecemos a mesma quantidade. Com esse trabalho coletivo, em menos de dez dias conseguimos reunir 2,2 toneladas de alimentos não perecíveis. Os colaboradores de outras unidades fora do Espírito Santo também doaram em dinheiro, que utilizamos para comprar mais cestas básicas. No final, nossa doação chegou a 120 cestas básicas e 200 quilos de leite em pó fornecidas para as famílias de catadores e um orfanato. A energia de fazer essas entregas foi mágica. Tenho certeza que isso ajudou a internalizar os Valores da PMI Aladdin/Stanley em cada colaborador”, destaca Vanderlei Paes Júnior.

Para Frederico Yamashita, CEO da Embali, empresa de Cariacica especializada na fabricação de frascos e tampas, a iniciativa do Sindiplast-ES vem reforçar a importância das ações sociais, principalmente em tempos de crise. “E nesse caso, em especial, é uma oportunidade que temos de ajudar os catadores, que são pessoas que estão próximas do nosso segmento. Nós dependemos deles para fazer a reciclagem. Então, nada mais justo, do que colaborarmos com eles nesse momento”, afirma.

Para incentivar os funcionários a participarem da campanha a empresa promoveu uma gincana interna que envolveu todos os 120 colaboradores. Os profissionais foram divididos em quatro equipes, tendo como prêmio um café especial para os vencedores. “Ficamos muitos satisfeitos com o resultado e com a adesão dos nossos colaboradores. Os profissionais realmente se engajaram e adoraram contribuir”, conta Frederico Yamashita.

Com as doações de cestas básicas, a Associação Reciclagem Verde Vida Manilha (ARVVM), no bairro Industrial Alecrim, em Vila Velha, poderá apoiar os 12 catadores de resíduos que possui como associados. “Paralisamos todas as nossas atividades por conta da pandemia. É uma situação nova, complicada e temos ainda, pelo menos, três integrantes que pertencem ao grupo de risco da Covid-19. O que tem nos ajudado é o auxílio emergencial do governo federal e a captação de recursos que temos feito para que possamos seguir em frente. As cestas básicas, com certeza, vão nos ajudar nesse momento difícil”, garante o catador e um dos fundadores da ARVVM, Paulo Elias André.

Ivanilda Lima Rodrigues, da Associação Beneficente de Catadores de Material Reciclado (ACAMARP), de Nova Rosa da Penha II, em Cariacica, também relata dificuldades dos associados em meio a queda da arrecadação de resíduos. Alguns catadores, por serem idosos, precisaram ser afastados por causa dos riscos provocados pela pandemia de Covid-19.

“A coleta caiu bastante, assim como o preço. Temos um caminhão que ia nas empresas parceiras recolher o material três vezes na semana. Hoje isso ocorre duas ou apenas uma vez. Essa campanha foi maravilhosa porque o rendimento dos catadores caiu. Temos custos com remédio, alimento, tem gente que paga aluguel. O recebimento da cesta básica irá ajudar mesmo. Foi uma força muito grande para nós catadores”, afirma.

“Com a pandemia da Covid-19, o setor do plástico reforçou o seu papel na sociedade, produzindo centenas de produtos que contribuem para a segurança e a qualidade de vida das pessoas. A realização de campanhas para ajudar famílias que tanto necessitam tem um significado especial, pois é uma forma de ajudar a fazer a diferença neste momento e retribuir à sociedade a confiança no setor”, acrescenta o presidente do Sindiplast-ES, Jackley Maifredo.

Ele ressaltou que a mobilização para arrecadar cestas básicas e material de limpeza continuará, pois a meta do Sindicato é beneficiar mais famílias de catadores, que atualmente somam 736. Participaram da Gincana da Solidariedade, mobilizando funcionários para fazerem doações, as empresas Embali, Lux Caixas, PMI Aladdin, Fibrasa, Topplastic, Maifredo Embalagens, Plasvit, Bigflex, Fera Descartáveis, Agrofit, Grupo Serrana e LBRX.

GALERIA GINCANA DA SOLIDARIEDADE

Abrir chat
Precisa de ajuda?
Powered by