O Sindiplast-ES iniciou um trabalho de articulação para desenvolver ações voltadas para a eficiência energética nas indústrias. A primeira empresa a participar da iniciativa foi a Fibrasa, que integra o Grupo de Trabalho de Eficiência Energética, formado pelo Sindicato e representantes da Ufes, do Senai e da ArcelorMittal. 

Durante o período aproximado de um mês, uma equipe interna de manutenção da Fibrasa fez um diagnóstico da eficiência energética da empresa, estudando a planta, verificando as principais fontes consumidoras de energia na fábrica e avaliando o que poderia ser aprimorado em relação à eficiência energética dos equipamentos. A análise ocorreu na planta do Espírito Santo e foi compartilhada com a planta do Nordeste. No estudo de vazamentos de ar, a equipe contou ainda com o apoio de uma empresa terceirizada. 

Segundo o diretor industrial da empresa, Paulo Sergio Gomes, o levantamento mostrou a necessidade de modernizar os equipamentos, substituindo alguns itens e implantando a inteligência de controle por meio de softwares e sensores. A primeira fase de implantação do projeto inicia no mês de julho e o retorno do investimento mostra-se efetivo de acordo com o diretor, podendo chegar a uma economia de mais de R$ 486 mil por ano para a Fibrasa. 

“Com a eliminação de vazamentos no sistema de ar comprimido faremos uma economia de R$ 240 mil por ano. Inserindo um controlador na bomba de vácuo do sistema de impressora serão mais de R$ 40 mil anual economizados. Substituindo as resistências das estufas das termoformadoras por outras mais eficientes, teremos outros R$ 178 mil anual poupados. Esses são apenas alguns exemplos do que identificamos nesse levantamento, mas há outras práticas que serão implementadas a médio e longo prazos”, afirma Paulo Sergio Gomes. 

 

O diretor conta que todas as propostas de melhorias foram analisadas e validadas pelo Grupo de Trabalho de Eficiência Energética, que fará uma nova avaliação dos resultados após a primeira fase de implantação do projeto. “Nos colocamos a disposição do Sindiplast-ES para apresentar nossa experiência aos demais associados. É importante que os empresários olhem para dentro de suas empresas e investiguem o que pode estar causando o desperdício, desenvolvendo ações voltadas para a eficiência energética e otimizando custos e produtividade”, ressalta.